Conferência: "Eutanásia: a favor ou contra?"

As recentes iniciativas para lançar em Portugal um debate parlamentar sobre uma petição para promover a “despenalização e regulamentação da morte assistida" têm sido acompanhadas por outros movimentos de afirmação de que a sociedade e o Estado têm o dever de proteger toda a vida humana.
Neste debate, os cristãos são chamados a procurar compreender as diversas dimensões que envolve (médica, psicológica, social, política...), mas especialmente as dimensões ética e religiosa que decorrem dos valores e princípios da fé cristã.
 
A Semana da Vida, promovida pela Conferência Episcopal Portuguesa, através da Comissão Episcopal para a área da Família, que decorre  de  14 a 21 de maio, propõe às comunidades eclesiais aproveitar a ocasião para organizar um  encontro para debater a Eutanásia: esclarecer conceitos, apresentar razões, responder a perguntas. 
 
Conferencista: Henrique Vilaça Ramos
 
Henrique Vilaça Ramos é médico e professor catedrático aposentado da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra. Interessado pela Bioética desde os anos 80, tema sobre que tem publicado, dado aulas, feito conferências e intervenções nos meios de comunicação. Cristão ativo na sua comunidade, aderiu às Equipas de Nossa Senhora praticamente desde a sua introdução em Portugal.
 
DIa: 18 de maio
 
Hora: 21.15 horas
 
Local: Igreja de São João Batista - Coimbra

Relações e Ralações Conjugais, Pe Paulo Araújo 1ª Parte

Relações e Ralações Conjugais, Pe Paulo Araújo 2ª Parte

Conferência e encontro para casais – 30 Nov. e 1 Dez

Testemunho de um casal participante

 

O Pe. Paulo Araújo, sacerdote da Comunidade Emanuel e incardinado na Diocese de Coimbra que se encontra presentemente a trabalhar em França, distingue-se pelo seu saber único em matéria de pastoral familiar. Há muito que se dedica ao estudo da psicologia e da teologia do amor humano. Acresce que é um homem dotado de uma extraordinária capacidade de comunicação e de muito humor. Por convite da Paróquia de São João Baptista, o Pe. Paulo Araújo veio propositadamente de França para fazer uma conferência e conduzir um retiro sobre a temática do amor humano dirigido a casais da paróquia e da diocese.

Para a conferência do dia 30 de novembro, que decorreu na igreja de São João Baptista, o Pe. Paulo tinha sugerido dois títulos: “Homem e Mulher: Manual de Instruções” ou “Relações e Ralações Conjugais”. Escolheu-se o primeiro mas ele, porque é homem, falou do segundo. E a verdade é que não se perdeu. A igreja encheu-se com muitas pessoas que nunca tínhamos visto. Explicou o palestrante, com muita graça, como homens e mulheres funcionam diferentemente e que isso não é um drama. Apenas precisamos de saber como naturalmente funcionamos para podermos brincar com isso. Ficámos todos a saber mais, designadamente que as mulheres são o cúmulo da perfeição, mas que não dispensam homens que são homens. Se contabilizássemos os olhares de cumplicidade entre os casais suscitados pelo que o palestrante disse, muitos livros não chegariam para esse registo.

No dia seguinte, o Pe. Paulo orientou um retiro para casais, na quinta de Santo António do Almegue, subordinado ao tema “E Deus viu que era bom... Um amor humano num projeto divino". Profundo conhecedor da Teologia do Corpo de São João Paulo II, o Pe. Paulo Araújo mostrou abundantemente como o amor humano é bom. É um amor feito de dificuldades, mas que no final vence. Profundamente sensível ao mistério do amor entre homem e mulher, o Pe. Paulo começou por nos conduzir ao início da Criação, quando Deus viu que tudo era bom e o casal humano era ícone da Santíssima Trindade; depois, com muitos exemplos das nossas vidas concretas, falou-nos do pecado e de como ele baralha todo este sonho de Deus; e, finalmente, recordou-nos a dimensão do Dom no Sacramento do Matrimónio, em que somos convidados a submeter-nos um ao outro como ao Senhor e a entregarmo-nos um ao outro como Cristo Se entregou à Igreja. Houve tempo e espaço para dialogarmos em casal e rezarmos juntos. Terminámos diante do Senhor, que nos abençoou e, em cada um dos casais presentes, renovou a Graça do seu Matrimónio.

Estivemos presentes 16 casais, que demos o nosso tempo por muito bem empregue. O mínimo que podemos dizer é que foi uma experiência única que devemos repetir.

 

Margarida e João Caetano

Cinema em casal

 
O cinema em casal que aconteceu no multiusos da  paróquia de S. João baptista reuniu 44 casais que se deliciaram num belo filme pedagógico sobre o desafio do amor. O filme deu para rir com vontade e para deixar as lágrimas teimosas manifestar o enternecimento que as emoções nos causavam. Foi uma hora e meia bem vivida e quando terminou todos irromperam numa bela salva de palmas indicando quanto o filme os tinha edificado. As conversas que se seguiram explicitaram isto mesmo. Ficou prometido.
Os filhos, numa sala ao lado, tiveram também o seu filme, além de outros jogos proporcionados por elementos da equipa de pastoral familiar.
E assim todos aproveitaram bem a noite

Uma equipa de 5 casais que reúne mensalmente pensa  em como dinamizar a pastoral familiar da paróquia. São eles que animam a festa da sagrada Família em Dezembro e têm como objectivo promover acções de sensibilização e formação das famílias promovendo encontros, sessões, palestras com convidados especiais e são eles ainda que promovem o percurso Ela e Ele para casais.

CONFERÊNCIA «FAMÍLIA E ECONOMIA DOMÉSTICA»

Equipa Paroquial de Pastoral da Família

 

A conferência «Família e economia doméstica», organizada pela equipa de pastoral da família decorreu com muito êxito. Não sendo muitos os presentes (cerca de 40 pessoas), as duas apresentações realizadas foram muito interessantes e cativaram a assistência.

A Técnica da DECO deixou conselhos muito válidos que motivaram grande número de questões (poderíamos ter ficado o resto da noite nesse diálogo), mas o testemunho do casal Vilaça, que convidámos, complementou lindamente com a experiência concreta de uma família com cinco filhos, onde não faltaram exemplos práticos de como organizar as contas domésticas e também a ideia do sentido espiritual da poupança - poupar tem a ver com desprendimento face ao dinheiro, tem a ver com partilha, tem a ver com o dar prioridade ao ser mais do que ao ter.

Também já recolhemos algumas assinaturas para o referendo pela vida. Como o próximo domingo é o último para esta recolha de assinaturas, era importante que durante todas as missas do fim- de semana estivesse alguém disponível para, no final da missa, acolher as pessoas interessadas em assinar a petição. 

Jorge Brandão